October 31, 2017

Doulagem

A palavra doula tem origem grega e significa “mulher que serve”. A doula é uma profissional capacitada para oferecer conforto, encorajamento, tranquilidade, apoio físico, emocional e informativo para a mulher durante todo o ciclo gravídico-puerperal, para que a gestante possa vivenciar a melhor experiência de gestação e parto possíveis. Ela pode ser contratada pela maternidade, pode ser voluntária em alguma maternidade pública ou atuar de forma particular, sendo escolhida e contratada pela própria gestante interessada em ter uma doula.

Como surgiu o trabalho da doula?

Antigamente as mulheres buscavam a companhia e cuidado de outras mulheres mais experientes no momento de parir, fossem vizinhas, amigas, tias, mães, avós, irmãs mais velhas, enfim, mulheres que já haviam passado por aquela situação. Era essa atenção, apoio e cuidado das outras mulheres que acalmavam e davam um suporte emocional e algumas dicas para que a nova mãe atravessasse aquela jornada do parir. Então, na verdade, a doula sempre existiu, mas quando o parto deixou de ser um evento familiar e natural e passou a ser um evento médico e hospitalar, esse apoio de outra mulher mais experiente deixou de existir e a parturiente passou a ter que ficar sozinha no hospital.

E, apesar de ser uma função tão antiga, algumas pessoas ainda não sabem muito bem diferenciar o trabalho da doula de todas as outras profissões envolvidas no parto. Bem, vamos lá! Quando o parto deixou de ocorrer em casa e foi transferido para o hospital, o ambiente em que a mulher se encontra para parir se tornou algo impessoal, mecanizado, muitas máquinas, grande número de pessoas desconhecidas da gestante, um vocabulário novo e tudo isso gera maior medo, tensão e ansiedade na hora do parto. Mas, como o parto é também composto pelo emocional e afetivo, é a doula quem vai oferecer esse apoio e suporte emocional. Vale destacar que a doula não substitui nenhum dos outros profissionais de saúde, mas vem para somar, integrar o cuidado, complementar a atenção emocional que, às vezes, os outros profissionais não tem tempo e condições de oferecer, visto que estão preocupados em atender a demanda específica de cada área. Daí a importância da doula.

O que a doula faz?

Durante a gestação a doula traz informações relevantes para a mulher/casal sobre os tipos de partos, as boas práticas recomendadas pela OMS para o parto normal, como reconhecer o trabalho de parto e suas fases, como se preparar para o parto e puerpério, dentre outras.

Durante o trabalho de parto e parto a doula utiliza recursos não farmacológicos para alívio da dor, como por ex. massagens, técnicas de relaxamento e respiração, sugestão de posições que favorecem um maior conforto físico, aromaterapia, banhos e imersão em água morna, oferece uma afirmação positiva e constante para a mulher de que acredita na capacidade dela de parir, estimulando a parturiente a confiar e não desistir do seu plano de parto. Além disso, a doula envolve também o pai/parceiro/acompanhante na cena do parto e faz uma ponte entre o casal e a equipe obstétrica, facilitando o entendimento da parturiente sobre alguns termos e procedimentos desconhecidos, quando necessário. O principal objetivo da doula é que a mulher se sinta empoderada do seu parto, para que tome suas decisões conscientemente. E a doula estará ali ao seu lado para relembrá-la de suas escolhas.

O que a doula não faz?

  • A doula não faz nenhum tipo de procedimento médico ou clínico, como ausculta, aferir pressão, exame de toque, administração de medicamentos.
  • Não discute procedimentos com a equipe obstétrica e nem questione decisões.
  • Não substitui qualquer dos profissionais de saúde envolvidos na assistência ao parto.
  • Não substitui o acompanhante escolhido pela gestante. Nesse caso, a doula pode dar orientação para que o pai ou acompanhante tenha uma participação mais ativa no processo, sugerindo formas de prestar apoio e conforto à mulher.

Quem pode ter uma doula?

Toda e qualquer mulher que sinta necessidade de ter esse apoio e suporte durante a gestação, parto e pós-parto.

Vantagens:

As pesquisas mais recentes demonstram que a presença de uma doula no parto pode diminuir em:

  • 50% as taxas de cesárea
  • 20% a duração do trabalho de parto
  • 60% os pedidos de anestesia
  • 40% o uso da oxitocina
  • 40% o uso de forceps.

Embora esses números refiram-se a pesquisas no exterior, é muito provável que os números aqui sejam tão favoráveis quanto os acima mostrados.

Este serviço é prestado por Luna Maia, entre em contato