A Dor no Parto e sua função

A Dor no Parto é rodeada por muitas dúvidas e é motivo de insegurança entre as grávidas, não sabemos o que vamos sentir e como reagir a ela, e isso pode nos assustar e gerar insegurança. O primeiro passo para diminuir o medo e os mitos em torno da dor é entender sua função e de onde ela vem.

Já que o parto é um processo fisiológico, porque tem que doer?

A dor é fruto das contrações do trabalho de parto, onde o útero contrai e relaxa para empurrar o bebê pelo canal de parto, sendo que os movimentos que o bebê faz pela pelve materna também envolve sensações de dor e desconforto. Possui intensidade variável e aumenta de acordo com o avançar do trabalho de parto. Quanto mais o bebê desce e está mais perto do nascimento, mais se intensificam as contrações e a dor. Cada mulher e cada bebê que está nascendo se encaixam de uma forma que faz a dor ser particular e única para cada parto e cada mulher, sendo que existem relatos de algumas gestantes que vivenciaram ausência de dor e outras que sentiram dores muito fortes. O fato é: a maioria das mulheres sente dor de intensidade forte, principalmente quando se aproxima do nascimento, sendo que ao entender a função dessa dor, podemos lidar melhor com ela e buscar alívio e conforto físico.

Ilustração das Contrações Uterinas

A função da Dor é orientar o corpo da mulher sobre o que fazer, evita que o parto aconteça sem assistência e sem acolhimento adequado. Se a mulher possuir liberdade de movimentos, ela será orientada pela própria dor sobre quais posições adotar para ajudar o bebê a nascer e para aliviar o desconforto. A dor sinaliza para a gestante que é o momento de se recolher para o nascimento, procurar um local seguro e assistência ao parto, avisar ao Médico, à Enfermeira Obstetra, à Obstetriz, à Doula, enfim, todas as pessoas que vão assistir seu parto. Algo muito importante de saber é que a dor possui intervalos, onde você poderá descansar, retomar as energias e se preparar para receber a próxima contração.

Apoio e segurança favorecem o parto e a lidar com a dor

O ambiente desempenha um papel fundamental para o melhor desenvolvimento do parto e no alívio da dor, sendo que a prioridade da equipe de assistência obstétrica deve ser promover segurança e proteção da gestante em trabalho de parto (física e emocional).
A mulher precisa ser bem informada sobre o andamento do trabalho de parto, permitindo que ela se expresse, tire dúvidas, entenda situações de risco e de normalidade, com clareza e confiança na equipe, podendo se movimentar de forma livre (caminhar, usar bola, mudar de posição), tenha a presença garantida de acompanhante e Doula. Tudo isso facilitará a liberação de substâncias hormonais que são necessárias e que estimulam o parto de forma espontânea (ocitocina e prostaglandinas) e outros que promovem o alívio natural da dor (endorfinas).

As situações de medo e alerta constantes promovem a liberação de substâncias que atrapalham o parto, favorecendo os hormônios do estresse (adrenalina e cortisol), que são antagonistas dos hormônios bons para o parto.  Podendo causar um prolongamento do trabalho de parto e aumento da sensação de dor.
Outra forma de promover um ambiente favorável ao parto é a diminuição dos estímulos a uma parte do cérebro que se chama Neocórtex, para isso devemos diminuir o barulho e a luminosidade do ambiente, permitindo que a mulher entre em um estado chamado “Partolândia”, dessa forma, todos os hormônios fluem melhor e é possível que ela vivencie a dor necessária, e tenha uma experiência de parto mais satisfatória.

Joana Carvalho, Enfermeira Obstetra Luminar, durante o Trabalho de Parto recebendo massagem da sua Doula Rachel

Muitas mulheres relatam o sofrimento no parto associado à falta de informação, de segurança e ao desrespeito, como nos casos de Violência Obstétrica. Obter apoio profissional para te orientar em como lidar com a dor, buscar uma instituição com profissionais que entendam a Fisiologia do Parto e Nascimento e que te forneçam recursos de alívio da dor, como os naturais (não medicamentosos) e os recursos medicamentosos (analgesia e medicamentos), fará muita diferença no seu parto e é direito de toda gestante, no serviço público e privado.

A Doula é fundamental no alívio da dor, pois sabe como utilizar cada recurso não medicamentoso de alívio da dor e transmite uma segurança emocional e conforto físico para esse momento tão difícil. Ter um acompanhante de sua escolha no parto, que esteja disponível para te ajudar a lidar com a dor e te passar segurança é fundamental.

Por isso, fale sobre a dor com pessoas que já vivenciaram o Trabalho de Parto em sua família, leia sobre a dor e busque profissionais que te ajudem a adquirir maior segurança para o parto. Nossa equipe possui Profissionais que podem te ajudar nesse processo, entre em contato.

Escrito por Joana Carvalho, Mãe de Rosa – 6 anos, Enfermeira Obstetra do Luminar.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *