Qualquer parto, normal ou cesárea, pode e deve ser humanizado

Foto: Istock

Visualize esta cena de uma conversa entre duas mulheres grávidas

-Oie, que grande está essa barriga hein?! Para quando é seu bebê?

-Para o final de julho, e o seu?

-Para o dia 28 de setembro

-E como será seu parto ?

-Escolhi um parto humanizado

O que a expressão parto humanizado pode remeter? Muita gente entende que, para se ter um parto humanizado é preciso o combo: “médico particular + parto na banheira + parto domiciliar”. Na verdade, não é bem assim.

De acordo com o obstetra Alberto Guimarães o atendimento humanizado é um desafio atualmente, pois é necessário que se desconstrua todo um modelo de assistência. Guimarães lidera o Programa Parto Sem Medo, modelo de assistência à parturiente que defende que o parto é um procedimento pelo qual a mulher e o bebê devem ser os protagonistas.

Segundo o médico, “parto humanizado”, é um termo do usado apenas no Brasil. “Talvez ele venha para fazer uma contraposição do parto visto até então como um procedimento médico. Esse parto instrumentalizado, onde basicamente as decisões da internação, jejum, soro e da própria cirurgia ficam à cargo do médico. Portanto, humanizar é inserir a mulher no contexto de assistência. Afinal, é ela quem está grávida, ela quem vai passar pela experiência, ela que vai parir”.

Leia matéria completa no Catraquinha

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *